Você costuma ter dúvidas da hora de usar os porquês, não é? Então, chegou ao lugar certo. Você vai entender hoje de uma vez quando usar as formas por que, porquê, por quê e porque. Quer ver como é fácil?

  • Perguntas = por que
  • Respostas = porque
  • Perguntas no fim das frases = por quê
  • Substantivo = (o) porquê

Tirinha do 'Porque'

Na tirinha acima, o menino passou os 2 primeiros quadrinhos a errar o uso dos porquês, até que acertou em tudo no último. Ele teria acertado se tivesse usado assim:

Porque sim (no 1.º quadrinho), afinal é uma resposta.

Por que não? (no 2.º quadrinho), pois estamos diante de uma pergunta.

Quando usar Por que?

Em perguntas ou como pronome relativo, com o sentido de “por qual e “pelo qual”.

“Por que” separado e sem acento é usado no início das frases interrogativas diretas ou no meio, no caso de frases interrogativas indiretas.

  • Por que ele não voltou mais?
  • Por que isto é tão caro?
  • Queria saber por que você não me telefonou ontem.

Quando usado no meio das frases, “por que” tem a função de pronome relativo. Pode ser substituído por “por qual e “pelo qual”.

Exemplos:

  • O local por que passei é muito bonito. (O local por qual passei é muito bonito.)
  • A razão por que sobra sempre para mim, eu não sei. (A razão pela qual sobra sempre para mim, eu não sei.)
  • Não sei o motivo por que as pessoas têm dúvidas. (Não sei o motivo pelo qual as pessoas têm dúvidas.)

Quando usar Porquê?

Como um substantivo.

Grafado junto e com acento circunflexo significa “motivo” ou “razão”.

Aparece nas sentenças precedido de artigo, pronome, adjetivo ou numeral com objetivo de explicar o motivo dentro da frase.

Exemplos:

  • Não foi explicado o porquê de tanto barulho na noite de ontem.
  • Queria entender o porquê de isto estar acontecendo.
  • Você pode me explicar o porquê de tanta gente complicar algo fácil?

Quando usar Por quê?

Em perguntas no fim das frases.

Separado e com acento circunflexo é usado no fim das frases interrogativas diretas ou de maneira isolada. Antes de um ponto mantém o sentido interrogativo ou exclamativo.

Exemplos:

  • O almoço não foi servido por quê?
  • Andar a pé, por quê?
  • Não vai errar mais? Por quê?

Quando usar Porque?

Em respostas.

Grafado junto e sem acento é uma conjunção subordinativa causal ou coordenativa explicativa.

Pode ser substituído por palavras, como “pois”, ou pelas expressões “para que” e “uma vez que”.

Exemplos:

  • Não fui à escola ontem porque fiquei doente.
  • Leve o casaco porque está frio.
  • Não preciso de mais exemplos, porque já entendi.

Resumo

Uso dos porques

Por Daniela Diana – Professora licenciada em Letras (Site Toda Matéria)

Publicidade