O material inclui álcool em gel 70%, sabão e detergente líquido. Medida integra um pacote de ações adotado pela empresa para ajudar no combate ao Covid-19 no estado

A Vale acertou a compra de 100 toneladas de insumo como álcool em gel 70%, sabão e detergente líquido, que serão doadas ao Governo do Estado do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa). O objetivo é ajudar no combate à disseminação do novo coronavírus (Covid-19). Os primeiros lotes foram entregues nesta segunda-feira (30) e os demais chegam nos próximos dias.

Os insumos foram adquiridos junto a fornecedores nacionais, 78 mil unidades (500ml) de álcool em gel 70%, 52 mil unidades de sabão liquido (800ml) e 20 mil unidades de detergente (1L) e serão importantes aliados na higiene como medida de prevenção ao contágio. Toda a logística de distribuição ficará sob responsabilidade da Sespa.

A medida integra o pacote de ações adotado pela Vale para ajudar no combate ao coronavírus no estado. Além da doação dos insumos, a empresa está reformando e ampliando uma ala de internação do Hospital Municipal de Parauapebas (HMP).

A reforma, com conclusão prevista para a primeira quinzena de abril, possibilitará o acréscimo de quarenta leitos de Unidade Semi-intensiva aptos a receberem pacientes com possíveis sintomas do coronavírus. O investimento será de R$ 1,5 milhão custeado integralmente pela Vale.

A empresa segue dialogando com o governo e as prefeituras paraenses para avaliar novas medidas de apoio.

Reforço à prevenção

A Vale vem adotando medidas ainda mais rigorosas e necessárias para reforçar a prevenção do Covid-19 em seus locais de trabalho. A empresa tem focado em reduzir a presença do efetivo administrativo e operacional nas unidades, de forma a manter apenas os serviços essenciais.

Além do trabalho remoto adotado desde 16/3 para empregados cujas funções são elegíveis a home office e para empregados dos grupos de risco, conforme orientação do Ministério da Saúde, a empresa colocou em prática uma série de ações preventivas e proativas para evitar aglomeração, como redução da quantidade de pessoas nas portarias, nos ônibus e nos restaurantes.

Publicidade