A Vale informa que já obteve o deferimento das liminares para a liberação do ramal ferroviário da Estrada de Ferro Carajás (EFC), em Canaã dos Carajás, e estradas que dão acesso às operações das minas de Sossego e S11D, interditadas desde às 3h da madrugada desta quarta-feira (26/6). A Vale espera que os manifestantes cumpram a ordem judicial.

A interdição, além de comprometer o acesso dos empregados e da comunidade em geral, implica na perda arrecadação para o município. Para se ter ideia, um dia de paralisação da EFC e das operações de Sossego e S11D corresponde na perda de R$ 716 mil de arrecadação de CFEM (Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais) para o município de Canaã dos Carajás. É importante lembrar que somente no primeiro trimestre deste ano, o recolhimento da CFEM foi de R$ 107,3 milhões, sendo que deste valor R$ 64,4 milhões foram destinados a Canaã dos Carajás.

A Vale esclarece que o Parque Nacional dos Campos Ferruginosos foi criado por Decreto Presidencial, cabendo ao ICMBio a gestão da unidade e a competência por desapropriações e negociações.

A empresa também esclarece que cumpre a legislação e mantém rígidos controles ambientais em todas as suas operações, que são fiscalizados pelos órgãos responsáveis.

Publicidade