O canaense que precisa fazer exames médicos para o processo de habilitação está passando por um verdadeiro inferno. ‘Isso aqui é uma covardia’ afirmou um senhor de 70 anos

Tumulto. Barulho. Revolta. Aglomeração. Um verdadeiro inferno.

Quem precisa tirar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) em Canaã dos Carajás está enfrentando um verdadeiro inferno. A clínica MedCar responsável por atender as demandas do Detran de Canaã dos Carajás não tem a menor condição de realizar os serviços, segundo alguns usuários do serviço.

Nesta terça-feira (7), o blog Fala Sério recebeu uma série de denúncias e foi até o local conferir a quase literal prova de fogo enfrentada pelos usuários.

Do lado de fora, calmaria. Do lado de dentro, uma sala comercial pequena acomodava desconfortavelmente dezenas e dezenas de pessoas que aguardavam exames. Ar condicionado? Existe, mas não tem a menor capacidade de refrescar tantas pessoas. Portanto, o calor, o barulho da revolta popular e o pior, de tudo, o tempo perdido faziam com que o canaense precisasse se humilhar para passar pelos exames.

Segundo a direção da clínica, o médico responsável pela liberação só poderia atender aos usuários nesta semana, portanto todos os atendimentos da semana anterior e da próxima foram, respectivamente, adiados e antecipados.

A medida não agradou em nada um senhor de 70 anos que aguardava na fila e prefere não ser identificado. Além de reclamar da espera, ele lembrou ainda denunciou os péssimos serviços prestados pelo órgão de trânsito. “Paguei R$ 350,00 para o meu processo. Eu queria renovar a minha CNH, mas como a categoria era ‘D’, eles exigiram um exame toxicológico. Como eu já tenho essa idade e não pretendo mais dirigir caminhões, eu pedi para que mudassem para ‘B’ justamente para não ter que fazer esse exame; eles fizeram o processo, paguei e quando chegou lá pra eles de volta me cobraram o exame; fiquei revoltado, eles erraram tudo e por isso estou aqui enfrentando esse inferno. Isso aqui é uma covardia.”

Uma outra usuária, que também não quer ser identificada, falou sobre o tumulto. “Isso aqui é uma calamidade, está insuportável esse ambiente. Teve gente que até passou mal devido ao calor. Eu só quero um exame psicotécnico simples e trabalho, a gente vai acabar perdendo o emprego por causa dessa espera nesse lugar.”

Além da espera e do calor, os usuários também denunciaram o mau atendimento da clínica, a impaciência dos funcionários e a desorganização.

Publicidade