Foto: Site reporterbrasil.org.br
Foto: Site reporterbrasil.org.br

A mídia pouco divulgou, mas no último dia 21 de junho seguranças da empresa Prosegur, prestadora de serviço da Vale, atacaram agricultores que estavam acampados na Fazenda Lagoa, localizada no município de Parauapebas. Cerca de 150 trabalhadores foram surpreendidos com tiros de bala de borracha, que acertaram, inclusive, crianças. De acordo com informações, os agricultores faziam uma oração quando os tiros foram disparados. Os seguranças também usaram bombas de gás – pelo menos 20 pessoas ficaram gravemente feridas.

Canaã dos Carajás também já passou por situações parecidas. Em 2017, quatro seguranças da mesma empresa foram indiciados por atacar um agricultor e seu filho, cujas terras faziam divisa com os domínios da Vale. Em 2016, os seguranças atacaram cerca de 300 famílias com armas de fogo. Nos dois casos, a Vale alegou que houve invasão de terras ou tentativa por parte dos trabalhadores.

A disputa por terras é um marco da região. A Vale, proprietária da maior parte das terras da região de Canaã e Parauapebas, afirma que os seguranças agiram em legítima defesa no último dia 21, visto que os agricultores tentaram instalar um poste para ligar energia de forma clandestina na localidade.

Publicidade