Uma intervenção policial, realizada pelas Polícias Civil e Militar, nesta quinta-feira (28), terminou com um morto e quatro presos. O caso aconteceu por volta das 17h no bairro Nova Carajás, Parauapebas.

De acordo com o tenente PM Honorato, duas viaturas e uma equipe da PC receberam a denúncia de uma comercialização de entorpecentes no bairro Nova Carajás. No local indicado, ainda segundo o tenente, os policiais se depararam com dois suspeitos, Frankson e Harrison. Na abordagem e revista, duas troxas com uma substância análoga à cocaína foram encontradas nos bolsos dos suspeitos. No interior da casa, mais cinco petecas da droga foram encontradas.

Indagados onde teriam conseguido a droga, um dos flagrados disse que havia comprado na casa de Djackson.

Na casa do citado, a policia se deparou com ele e os irmãos Messias Sousa Lobo, de 18 anos de idade e Moisés de Sousa Lobo, de 19. Segundo o tenente, Messias estava armado com um revolver calibre 38 e teria corrido mata adentro atirando contra os policiais. Nesse momento, o jovem foi baleado mortalmente e foi a óbito ainda no local.

Na delegacia, a Polícia apresentou um revólver calibre 38, com quatro munições deflagradas e uma intacta, além de sete papelotes de cocaína. Os quatro jovens presos na operação foram apresentados na 20ª Seccional Urbana de Polícia Cívil de Parauapebas por tráfico de drogas e associação ao tráfico, sendo eles Harison Costa Vieira, Frankson Silva Bezerra, Djackson Lopes Soares e Moisés Sousa Lobo.

Ainda segundo o PM, Moisés Lobo vinha sendo investigado acusado de participar de um homicídio no município. Interrogado pela delegada Yanna Azevedo, o mesmo confessou que participou da morte de Roberto Ferreira da Silva, de 47 anos assassinado a golpe de Machado e facão, crime ocorrido na madrugada do dia 09 de fevereiro deste ano, na invasão Nova Conquista.

Djackson Lopes, por sua vez, estava em liberdade condicional, uma vez que havia puxado cadeia acusado de latrocínio ocorrido no dia 16 de fevereiro do ano passado em Canaã do Carajás, tendo como vítima o nacional Robson Roberto de Araújo. (Caetano Silva)

Publicidade