Por volta das 22h, de quarta-feira 20, policiais da Ronda Ostensiva Com Apoio de Motos (Rocam), apresentaram na 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil de Parauapebas, acusados de tráfico de entorpecente, os nacionais Guilherme Eduardo Silva dos Reis, Joao Marcos Nunes dos Santos. Além de uma mulher usuária de entorpecente.

Continua depois da publicidade

De acordo com a guarnição, a prisão se deu por volta das  20h de quarta-feira, 20, quando a GU realizava ronda ostensiva pelo Bairro União e, ao passar pela rua 10, abordou um  desconhecido em uma motocicleta Pop, cor branca, placa QEZ-4938, conduzida pelo  nacional hora  identificado por Guilherme Eduardo Silva dos Reis de 21 anos. Na revista pessoal, segundo os PMs, foi encontrado na carteira porta cédula do mesmo, um papelote análogo a cocaína, pesando aproximadamente, 19 gramas.

Perguntado pelos policiais sobre a origem do produto ilícito, o abordado teria dito que a droga seria entregue a uma mulher, que estaria lhe esperando ali mesmo na Rua 10.

Ainda segundo a PM quando Guilherme estava sendo abordado a mulher apareceu. Perguntado da origem da droga, Guilherme teria dito que o dono seria o nacional Joao Marcos  Nunes dos Santos residente  no Bairro Tropical. Em ato continuo, a guarnição se dirigiu ao logradouro e quando se aproximava da casa, o proprietário do imóvel tentou fugir

pelos fundos, sendo avistado por um dos PMs que teria efetuado um disparo de advertência  para o auto ordenou que parasse.

 João, ainda segundo a polícia, esboçou reação como que puxaria uma arma, e novamente teria tentado empreender fuga, sendo contido e algemado por resistir a prisão.

Na buscas feita no interior do imóvel, uma vez que João havia dito que havia droga, a GU encontrou dentro do guarda-roupa, 09 papelotes de crack pesando aproximadamente 6 gramas cada, uma barra da mesma substância pesando aproximadamente 35 gramas, além de

um pequeno vasilhame de plástico com maconha pesando aproximadamente 13.9g.

Ainda segundo a GU, no interior do imóvel estava também a companheira de João, identificada por Roberta  Karoline de  Andrade Xavier, que teria corrido para o banheiro e jogado uma substância no vaso dando  descarga em seguida. Entretanto, os PMs ainda conseguiram observar que se tratava da substância crack.

No celular da usuária, a polícia encontrou uma transferência bancária via PIX para a esposa de João, que seria pagamento de droga.

Ainda segundo a polícia, após a apreensão do entorpecente na residência de João e sua esposa  Roberta, os PMs se deslocaram para a casa de Guilherme localizada no Bairro Tropical, onde foi apreendido mais um papelote de cocaína. Apresentados ao delegado plantonista Nelson Alves Júnior, a dependente química foi ouvida e liberada, enquanto que Guilherme e João Marcos foram enquadrados nos artigos 33 e 35, por tráfico e associação ao tráfico de entorpecente.

Neide Folha

Publicidade