Jovem foi pego com maconha nas Casas Populares, confessou que vende a droga e justificou o crime alegando que ninguém lhe dá oportunidade de trabalho

Atuando desde o início desta semana em Canaã dos Carajás, a Ronda Ostensiva com Apoio de Motos (Rocam), já começa a mostrar bons resultados no combate à criminalidade no município. Na noite desta quarta-feira (19), os policiais, em uma abordagem de rotina, conseguiram tirar das ruas um traficante de apenas 14 anos de idade.

>

O jovem foi avistado em situação suspeita no Residencial Canaã, as Casas Populares, e passou pela revista dos policias da Rocam. Na checagem, foi encontrado com ele dois papelotes da erva do capeta. Sem ter como esconder o crime, o jovem revelou que realmente trabalha com isso e justificou os erros alegando que faz isso para sobreviver. “Não tenho a oportunidade, a gente chega para trabalhar e ninguém quer dar emprego. Fica complicado” explicou ele, em entrevista já na Delegacia de Polícia.

Quando questionado sobre a opção em ganhar dinheiro fácil na vida criminosa, o jovem rebateu. “Não é um dinheiro fácil. A gente se arrisca todo dia para conseguir alguma coisa. Nunca é fácil.”

O soldado Miguel, que participou a operação que apreendeu o menor, falou sobre a abordagem. “Nós fazíamos uma ronda ali pelas Casas Populares quando avistamos ele e outro indivíduo em determinado local. Os dois já são velhos conhecidos das guarnições aqui de Canaã e ele, depois de ser pego, já abriu o jogo e afirmou que estava comercializando a droga por não ter o que fazer. Após confessar, ele nos levou até a casa a casa dele e a gente encontrou mais 14 papelotes de maconha.”

Além da droga, os policiais encontraram com ele material para a embalagem da maconha, dinheiro, uma faca para o preparo dos pacotes e um celular que também serviu como prova da atuação criminosa. “Encontramos uma conversa entre ele e outro indivíduo falando sobre drogas e também sobre motocicletas. Ele nos revelou que a motocicleta que ele estava negociando tinha peças roubadas, mas isso a gente vai passar pra Polícia Civil continuar as investigações.”

Apesar do jeito de santinho e do discurso sofredor, o jovem não engana ninguém e já possui passagens pela polícia por assalto e porte de arma branca.

Publicidade