O acusado matinha uma relação afetiva com a vitima, que segundo informações deferiu varias facadas depois de uma discussão.

Se encontra recolhido na área carcerária da Susipe no bairro Rio Verde, Parauapebas, o nacional José Mauro Oliveira dos Santos, 32 anos de idade. O mesmo foi preso mediante mandado de prisão preventiva expedido pela doutora Vanessa Ramos Couto, juíza de direito titular da 1° vara criminal da comarca de Castanhal (PA), de onde estava foragido acusado de homicídio, (artigo 121) tendo como vítima Carlos Alberto Sodré da Costa, assassinado com vários golpes de faca, ocorrido na noite do dia 26 de maio de 2002, numa área erma da invasão do Jagatá, bairro Fonte Boa, na cidade de Castanhal/PA, o acusado no processo consta que José Mauro matou Carlos Alberto com diversos golpes de faca. Nas informações realizadas na época dão conta que o acusado e a vítima mantinham um relacionamento amoroso homossexual há bastante tempo, sendo que tal relacionamento era marcado por muitas brigas motivadas por ciúme e que na noite em que aconteceu o crime.

O acusado José Mauro e a vítima Carlos Alberto, discutiram após a vítima ter visto o acusado conversando com uma garota, tendo Mauro, segundo depoimento de testemunhas, ficado aborrecido com Carlos Alberto e o ameaçado com um gesto feito com as mãos. Ainda segundo a denuncia oferecida no época pelo ministério público, devido o flagra José Mauro e Carlos Alberto afastaram-se tempo depois se reencontraram em uma festa, onde teriam feito as pazes, com isso os dois saíram da festa e se dirigiram á invasão do Jagatá, onde, segundo a denúncia, após manterem relações sexuais, José Mauro esfaqueou Carlos Alberto. Depois do crime Mauro esteve na residência de seu irmão onde confessou crime para sua cunhada. Em seguida o mesmo se evadiu para a cidade de Terra Alta, onde também dia contou o feito para sua mãe. Foragido desde então o foragido foi capturado em Parauapebas quando na manhã de segunda-feira 30, de setembro, procurou a delegacia dizendo que gostaria de consultar seu CPF, momento em que a equipe de plantão descobriu que havia um mandado de prisão preventiva expedido em desfavor dele, que mediante a descoberta recebeu voz de prisão na hora, já ficando custodiado a disposição da justiça de Castanhal.

Caetano Silva

Publicidade