Foi preso, através de mandado de prisão preventiva expedido pela justiça de Parauapebas, o nacional Gefferson de Lima Belisario apontado como sendo um dos autores da morte do jovem Carlos Henrique, de 16 anos de idade. O adolescente foi assassinado a pedradas na madrugada do dia 02 de junho, às margens da rodovia PA 160, nos fundos da casa norturna “Boteco Universitário”. A prisão do suspeito ocorreu por volta das 18h30, de terça-feira (23).


O corpo do jovem foi encontrado morto em um terreno baldio por trás do cemitério da rodovia Faruk Salmem.

Residente na Vila Cedere I, a vítima saiu de casa para curtir a sua primeira festa na badalada noite de sábado em Parauapebas, acompanhado de dois amigos.

Eles estavam na casa de festas quando o rapaz saiu do local sem dizer aos seus colegas. Ainda segundo informações, ao se aproximar do horário de retornar para casa, os amigos tentaram localizar Carlos Henrique dentro e fora do clube de festa, mas não o encontraram e decidiram ir embora sem ele.; nas primeiras horas da manhã, o corpo foi encontrado.

Carlos Henrique

A vítima estava seminua, com as calças abaixadas até os joelhos e também havia indícios de que teria sido arrastada. No local também foram encontrados uma lata de cerveja vazia e um boné. Carlos Henrique foi morto a pedradas, o assassino também usou pedaços de concreto para trucidar a vitima, deixando o seu rosto irreconhecível; o jovem só foi reconhecido através das roupas e uma tatuagem.

Nos levantamentos preliminares, a Polícia Civil suspeitou que Carlos Henrique teria ido até o local de forma espontânea, provavelmente acompanhado de uma mulher. A hipótese foi que ele tenha sido surpreendido pelo namorado ou marido e a traição ter sido a motivação do ato violento.

Moradores confirmam que o local frequentemente é usado por casais de adolescentes para a prática de relações sexuais.

De acordo com as autoridades, as investigações vão continuar para que sejam presos também os demais envolvidos.