Na quinta-feira (16), a Polícia Civil do Pará deflagrou a Operação Zeta, cumprindo quatro mandados de busca e apreensão e três de prisão na sede da Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran) do Departamento de Trânsito (Detran), em Abaetetuba, nordeste paraense, e na capital, Belém. Três servidores públicos foram presos.

Durante as investigações, os policiais comprovaram que o grupo estaria inserindo dados falsos em sistemas de informação do Detran com o objetivo de legalizar veículos de origem ilícita os quais encontram-se em outros estados do país, principalmente, na região sul. A investigação também constatou que, no período de quatro meses no ano de 2018, o grupo realizou cerca de 800 transferências veiculares suspeitas, incluindo diversos carros de luxo”. 

>

“As transações, possivelmente fraudulentas, eram realizadas com veículos dos modelos das marcas BMW e Porsche. O nome da Operação denominada “Zeta”, tem origem da plataforma de montagem do veículo Camaro (Chevrolet), um dos carros que o grupo criminoso forjou dados para realizar transferência no Estado do Pará”, explicou o delegado Breno Ruffeil, titular da Divisão de Combate à Crimes Econômicos e Patrimoniais Cometidos por Meios Cibernéticos. 

Os servidores presos serão ouvidos e irão responder criminalmente além de responderem procedimento administrativo na qual pode culminar na exclusão dos mesmos da Instituição. 

A operação Zeta foi deflagrada pela Diretoria Estadual de Combate a Crimes Cibernéticos – Divisão de Combate a Crimes Econômicos e Patrimoniais Praticados por Meios Cibernéticos e pela Divisão de Repressão ao Crime Organizado da Polícia Civil (DRCO), com apoio do Núcleo de Inteligência do Detran.

(Informações da Polícia Civil)

Publicidade