Poema: “Gabinete de crise”

por Simone Oliveira

A Ignorância vivia no escuro abraçada ao medo

Liderava reuniões presenciais e por videoconferências

E o medo era retroalimentado pela Ignorância,

em pequenas porções

Medo de quê?

Do próprio discurso,

Da própria performance,

Do próprio fracasso,

Daquela escuridão, exalava egocentrismo e arrogância,

Nada se podia enxergar ali,

aquele era um vazio espelhado,

e escuro

e fétido

e viral

pois, já não se percebia odor algum entre os que ali estavam,

Incomodava mais a claridade que vinha de fora,

o barulho que vinha de fora,

quem vinha de fora,

Vestida em sua hierarquia pomposa,

a Ignorância esbravejava aos quatro ventos,

com seu próprio medo e contra o medo das outras pessoas.

Simone Oliveira Vieira Peres é professora da rede municipal de ensino, licenciada em Letras (UNEMAT), mestra em Estudos de Cultura Contemporânea (UFMT) e pós-graduanda em Docência para o Ensino Técnico e Profissionalizante (IFPA).

Publicidade