O jovem Mateus Alves Cunha da Silva, de 18 anos de idade, ele é suspeito de envolvimento nas mortes e ocultações de cadáveres tendo como vítimas Jeilson de Sousa Coelho, 28 anos de idade e Wesley da Silva de Jesus, de 23, ambos estavam desaparecidos desde a última sexta-feira dia (15).
A prisão de Mateus se deu na manhã de sexta-feira (22) oito dias após o sumiço das vítimas cujo os corpos foram encontrados em um sítio distante 2 quilômetros da Vila Palmares II, zona rural de Parauapebas.

Com base nas investigações na manhã de sexta-feira 22, a equipe da 20ª Seccional de Polícia Civil se dirigiu até ao sítio localizando os corpos de Jailson Wesley numa área de baixo lagadiço cobertos com árvores e bananeira braba cortada em volta para ocultar os cadáveres.

Mateus Alves Cunha da Silva, acaba de completar 18 anos e quando menor várias passagens pela polícia agora maior de idade e acusado de participar de um latrocínio. Os pertences de Jailson e Wesley não foram encontrados.
Com sua prisão preventiva a polícia tenta chegar aos demais participantes no crime, para isso a polícia judiciária que é os olhos da justiça conta com o auxílio da população e para isso basta ligar para 181, não precisa se identificar e suas informações ficaram sobre sigilo. Enquanto isso as investigações continuam para chegar ao paradeiro dos demais envolvidos, que de acordo com os primeiros levantamentos dão conta que as vítimas teriam no dia em que desapareceram Jailson e Wesley deixaram o bairro onde moravam acompanhados de alguns desconhecidos em dois veículos com a falsa promessa de participar em de uma festinha naquela chácara onde foram mortos e seus corpos ocultados. As vítimas estavam descalços, sem camisa e um dele apenas de cueca e pelo estado avançado de decomposição não foi possível saber se foram assassinados a tiros, porém nós corpos haviam vários golpes de arma branca e ambos estavam com a garganta cortadas.

A primeira hipótese para o crime seria de latrocínio que é “roubo segundo de morte”, entretanto pela crueldade levanta outras hipóteses e linha de investigação como acerto de contas. Segundo a família das vítimas ambos eram trabalhadores e não faziam parte de nenhuma facção criminosa e estaria devendo ao tráfico.
Até o fechamento desta matéria a polícia ainda não havia encontrado a moto de Jailson uma Honda, XRE- 300, cor vermelha, placa OFK-6773/Barcarena-PA. (Neide Folha)
.

Publicidade