Na tarde desta terça-feira (18) Diogo Alexandre Santos, 23 anos de idade, foi encaminhado para o Hospital Geral de Parauapebas após receber uma descarga elétrica. O caso ocorreu na Vila Carimã, zona rural (área do Contestado), região distante cerca de 60 quilômetros de Parauapebas.

Segundo informações apuradas por nossa equipe de reportagem, o rapaz teria tentado fazer a religação da energia elétrica na área rural de propriedade de um homem conhecido por “Senhozinho”. Neste instante, ao bater a canela e ligar a rede elétrica ao transformador de energia da propriedade, Diogo recebeu a descarga elétrica, sofrendo queimaduras de segundo e terceiro grau. Devido a gravidade dos ferimentos, o jovem não resistiu aos ferimentos e morreu antes mesmo de chegar ao pronto-socorro.

Após o falecimento de Diogo, os moradores enviaram, via whatsapp, um áudio e nota de repúdio denunciando o descaso sofrido pela comunidade rural com a falta de energia elétrica. Eles denunciam a precariedade dos serviços ofertados pela empresa Equatorial, já que a concessionária de energia elétrica do Pará oferece um serviço precário aos que vivem na zona rural do município.

Ainda sobre protesto, a população da Vila Carimã reclama que na localidade os moradores não têm telefone fixo e quando precisam fazer pedido de religação ou reparos tem que subir nos montes procurando sinal de celular. “Todas as vezes que precisamos solicitar os serviços da Equatorial energia é necessário subir nos morros para pegar sinal, por que a concessionária não se atualizou com a nova tecnologia colocando um contato direto pelo whatsapp, por exemplo”, disse uma agricultora por telefone.

O corpo de Diogo Alexandre foi encaminhado para o Centro de Perícias Científicas Renato Chaves, em Parauapebas, para exame de necropsia.

O rapaz era casado e pai de três filhos. Após procedimento cadavérico, o corpo de Diego foi velado pela família e amigos na rua Costa Silva, bairro Altamira em Parauapebas.

(Neide Folha)

Publicidade