O trabalhador braçal Simão Alves da Costa, 65 anos de idade, natural de Timom (MA), foi encontrado morto a golpes de foice, no alpendre da sede da propriedade onde trabalhava havia dois meses.

O crime aconteceu por volta das 18h de sábado (7) na propriedade São José, número 200, a 12 km do PA- Carimã, (área do contestado) zona rural de Marabá, distante cerca de 85 quilômetros de Parauapebas.

De acordo com informações, era por volta das 17h30 quando um outro colono que trabalhava roçando mato próximo à sede teria ouvido um disparo de arma de fogo. Passando alguns minutos, ele teria se dirigido até a sede momento em que se separou com Simeão Alves já morto.

Informada do ocorrido já por volta das 21 horas, os investigadores Márcio e Fátima juntamente com uma equipe do IML, se dirigiram ao local, onde após levantamento de praxe realizou a remoção do cadáver.

Como a vítima estava sozinha na propriedade, ninguém soube informar para polícia o que aconteceu. No local, a pouco metros do corpo, havia três cadeiras e ao lado de uma dela estava o pacote de fumo da vítima, como se Simão, antes de ser morto, tivesse sentado com os assassinos.

No local também havia sinais de que houve luta corporal entre a vítima e assassinos. Da propriedade foi dado falta de um motosserra. Simão trabalhava na propriedade há dois meses e no dia em que foi morto (7) era dia de receber pagamento. O proprietário, parentes e vizinhos da vítima comparecerem na delegacia de Polícia Cívil de Parauapebas para serem ouvidos pela delegada Yanna Azevedo, que em seguida encaminhará o caso para polícia da jurisdição de Marabá, de onde pertence a localidade.

Publicidade