De acordo com morador, que preferiu não ser identificado, débitos foram pagos, mas equipe retirou o disjuntor do padrão e não fez o religamento alegando justamente a ausência do equipamento. Além deste caso, moradora do Vale dos Sonhos denunciou a perseguição da empresa Dínamo Engenharia

Não é segredo para ninguém que os serviços da Rede Celpa são uma lastimável vergonha para o povo paraense. Todos os problemas ligados a energia elétrica acabam se tornando um transtorno quase sem solução. Em Canaã dos Carajás não é diferente. Um morador, que preferiu não se identificar, entrou em contato com o site Fala Sério e denunciou uma situação desagradável.

Conforme explicou, após ter pagado um débito que tinha com a concessionária, um protocolo para religamento da energia foi gerado e a equipe procurou a casa para a tarefa. No entanto, o disjuntor do padrão, que sempre esteve no lugar, de repente sumiu e a equipe de trabalho da Celpa abandonou o lugar, sem concluir a tarefa, alegando a falta do equipamento. “O disjuntor estava lá! Ninguém mexeu! Isso é um absurdo! Os caras tiraram do lugar e disseram que não estava. Não tem como não se revoltar!” afirmou.

O morador contou ainda que procurou a unidade de Canaã para tratar do problema, mas foi mal atendido e ainda não teve o seu problema resolvido. “Me orientaram a ligar para o 0800. Fiz, mas ninguém resolveu a minha demanda. É impressionante! Essa empresa faz o que quer com o consumidor e ninguém faz nada!” explicou revoltado o cliente.

 

Ainda em Canaã, um outro caso chamou a atenção da reportagem. Uma moradora do Vale dos Sonhos, que também não quis revelar a identidade, afirmou que está sofrendo perseguição da empresa Dínamo Engenharia – prestadora de serviços para a Celpa. “Eu pago R$ 700,00 de energia todos os meses e todos os dias – absolutamente todos os dias – a equipe dessa empresa mexe no meu padrão! Eu não sei o que eles querem! Mas eles estão lá mexendo, incomodando, me cercando. É um incômodo sem tamanho!”

O Pará, estado que comporta duas usinas de energia, uma delas a maior do planeta, segue sendo um dos estados com a energia mais cara no Brasil. Não bastasse os preços elevados, o paraense ainda precisa conviver com maus serviços e um atendimento cada vez pior.

Publicidade