O que ele não contava era com a ‘indigestão’ que viria depois: populares quase o lincharam na ocasião. O criminoso pediu até “pelo amor de Deus” para ser preso

Policiais Militares da Ronda Ostensiva com Apoio de Motos (Rocam) apresentaram na 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil de Parauapebas, para o delegado plantonista Gabriel Henrique, o ladrão Geovane de Sousa, 26 anos, preso pela população após fugir do local onde estava realizando um assalto a uma comerciante no bairro Novo Horizonte. O caso aconteceu por volta das 9h da manhã de terça-feira (18).

A reportagem apurou que Geovane entrou no estabelecimento se passando por cliente. Ele perguntou à comerciante se ela estava vendendo panelada, pois estava com muita fome. Ao afirmar que não tinha panelada, o bandido pediu a mulher que vendesse a ele um refrigerante. “Eu fui pegar o refrigerante e quando voltei ele anunciou o assalto, pegou R$ 200 do caixa e queria mais, mas não tinha mais. Depois ele pediu uma sacola e roubou os cigarros e ainda me ameaçou dizendo que era do PCC. Em seguida, fugiu depois de me deixar trancada”, disse a vítima do criminoso.

Mas o que Geovane não esperava era que uma vizinha da vítima havia avistado a movimentação estranha e logo acionou um grupo de mototaxistas. Os motoqueiros seguiram o malandro, tomaram a arma e a população aplicou uma surra inesquecível no bandido, até a chegada dos policiais, que levaram o ladrão presepeiro até a Delegacia.

Na Depol, o ladrão surrado e arrependido, enfatizou que não era do PCC. Ele já esteve preso acusado de furto de uma bicicleta.

O soldado PM Cavalcante disse que Geovane pediu até pelo amor de Deus que fosse levado para a Delegacia. “Acho que ele não achou bacana a surra que levou dos populares”, disse sorrindo o PM.

(Caetano Silva)

Publicidade