Foi encontrado morto, na manhã deste sábado (26), em um depósito de madeira no Polo Moveleiro de Parauapebas, Flávio Campos Carneiro, 32 anos. Ele trabalhava com acabamento de móveis, prestando serviços de lixador para vários moveleiros no local. Amigos do homem supõem que ele poder ter sido vítima de latrocínio, pois seu celular sumiu.

O corpo de Flávio foi encontrado por um amigo que, ao procurar o banheiro do barracão, na manhã de hoje, deparou-se com o homem caído, cercado de várias sacolas e com madeiras por cima, como para encobri-lo.

O moveleiro Ari Júlio, uma das pessoas para quem Flávio frequentemente prestava serviços, contou que a morte dele deixou todos os que trabalham no local consternados. Descreveu o homem como uma pessoa boa, sempre disposto a trabalhar, amigo de todos e que “não tinha quem não simpatizasse com ele”.

Ainda não há suspeitas acerca do autor do assassinato.

Mas revelou que Flávio era dependente químico, porém, quando usava droga o fazia discretamente e ” nunca fez mal a ninguém”. Disse ainda que quando se embriagava, “aí sim, ficava alterado”, falava muito, queria abraçar a todos, mas “também nunca ofendeu ninguém”.  Ari Júlio informou também que o lixador circulava frequentemente entre os bairros Casas Populares 1 e 2.  

Fonte: Caetano Silva – Zé Dudu

Publicidade