Após o vídeo de uma mãe desesperada, querendo atendimento médico para a filha, tomar conta das redes sociais e ser noticiado em todos os meios de comunicação da região, o Sindicato dos Médicos de Parauapebas resolveu se pronunciar sobre o fato através de nota.

O texto, divulgado nesta segunda-feira (25), afirma que o médico em questão teve a sua imagem desonrada nas redes, que a criança estava medicada desde as primeiras horas da manhã e explicou o fato da PM ter sido acionada.

>

A nota repudia ainda a fala do prefeito Darci Lermen. Confira abaixo o texto na íntegra:

Acusado pela mãe de uma paciente de se negar a ministrar um soro para a sua filha de três anos na madrugada de sábado, médico teve sua imagem denegrida nas redes sociais. O médico explicou que a menina não estava desidratada, tendo recebido todo o atendimento necessário para o caso em que se encontrava. A mãe, visivelmente alterada, continuou insistindo na hidratação, em nova negativa recusou as outras medicações prescritas para a criança e foi para o corredor aos gritos exigindo que seus desejos fossem atendidos. O escândalo descabido começou a perturbar os outros pacientes no interior da unidade e pelo risco iminente de agressão pelo descontrole emocional foi solicitada ajuda policial para controlar a situação.

Atitudes de agressividade como a dessa senhora tem sido cada vez mais comuns nas emergências médicas, muitas vezes essas cenas terminam em agressão física dos profissionais de saúde e algumas vezes até em morte. Para coibir um desfecho desfavorável há necessidade de proteção policial.

O Sindmepa repudia a atitude do Prefeito que sem procurar ouvir os argumentos do servidor, saiu postando vídeo nas redes sociais denegrindo a imagem pública do profissional e já falando em punição.

A assessoria jurídica do Sindmepa já está tomando as providências necessárias e vai entrar com pedido de direito de resposta junto ao portal de notícias que veiculou matéria jornalística sobre o assunto sem a versão do médico”.

Publicidade