Mineradora protocolou petição afirmando que produtores da Serra do Rabo descumpriram decisão judicial e bloquearam novamente ramal ferroviário do projeto S11D. Vendo que não havia crime, justiça não acatou o pedido da empresa

A novela continua em Canaã dos Carajás. De um lado, a poderosa Vale que leva diariamente toneladas de minério de ferro do município, obtém lucros absurdos e deixa migalhas. Do outro, os produtores rurais da Serra do Rabo, prejudicados pela criação do Parque Nacional dos Campos Ferruginosos, impedidos de produzir em suas terras.

Desde o início da semana, eles protestam exigindo que a mineradora cumpra as compensações pela criação do Parque. Os produtores estão acampados às margens da estrada que dá acesso ao S11D e já afirmaram que não sairão de lá sem uma reunião de acertos com a empresa.

Por conta deste manifesto pacífico, a Vale protocolou uma petição pedindo a prisão dos produtores. No documento, a empresa mente afirmando que os manifestantes ocuparam novamente o ramal ferroviário do projeto S11D. Constatando a falácia, a justiça negou o pedido da multinacional.

A Associação dos Produtores se manifestou sobre o pedido da Vale:

Desde as primeiras horas do dia de hoje, 07 de fevereiro de 2020, os Associados da ASSOCIAÇÃO DAS FAMÍLIAS DOS PRODUTORES RURAIS DA GLEBA BURITI NA SERRA DO RABO EM CANAÃ DOS CARAJÁS – PA encontram-se manifestando pacificamente às margens da rodovia de acesso ao projeto S11D, dentro das Leis de Trânsito e sem bloquear nenhum acesso.

Em 05 de fevereiro de 2020 os Associados obedeceram a ordem judicial e desobstruíram o ramal ferroviário do S11D.

Acontece que na data de hoje, por conta da manifestação ordeira e, sobretudo, longe do referido ramal ferroviário e longe das instalações da VALE, a Mineradora encaminho petição para o Juiz da 2ª Vara Cível desta Comarca informando o seguinte, segundo decisão do Magistrado (processo nº 0004727-54.2019.8.14.0136):

Desta forma a VALE levantou falsas informações em processo judicial ao alegar que os Produtores Rurais novamente estariam bloqueando o ramal ferroviário, o que não procede como as próprias fotos demonstram.

Veja abaixo a conclusão da justiça:

A respeito do alegado descumprimento da decisão proferida em 05/02/2020, constata-se que a parte autora não conseguiu comprovar de forma satisfatória que houve descumprimento da decisão anterior deste juízo. Importante ainda salientar que as novas fotos apresentadas pela VALE S/A não permitem concluir que está havendo descumprimento da decisão deste juízo, pois a manifestação aparenta estar ocorrendo às margens de uma rodovia.

A Associação dos Produtores conclui a nota dizendo o seguinte:

Desta forma, prezados senhores, temos mais uma demonstração do “Procedimento Padrão VALE” que além de não cumprir com seus compromissos, de não respeitar os direitos de terceiros, ainda ousa pedir indevidamente a PRISÃO de pessoas que já se encontram prejudicadas desde 2017 e estão manifestando como uma última e desesperada saída para um problema que viola os mais básicos direitos das mesmas.

Publicidade