Segundo informações, Ernandes Rodrigues Pereira, de 25 anos de idade, natural de Santa Luzia MA, saiu do trabalho e pegou uma carona com sua colega de trabalho de prenome Antônia, também técnica em enfermagem.

Após os dois terem passado na casa de um amigo onde deixaram uma cesta básica, o veículo de Antônia passou a ser seguido por dois indivíduos em uma moto Honda Pop, branca, placa não anotada.

>

Ao parar na residência do pai de Ernandes Rodrigues, onde o mesmo iria ficar, o garupa desceu da moto e, quando a vítima abriu a porta do veículo para sair, o assassino se aproximou e, chamando sua atenção, efetuou dois disparos contra o mesmo que caiu escorado na porta do automóvel. Em ato contínuo, o pistoleiro chegou mais perto do rapaz e apertou o gatilho mais uma vez contra a cabeça do jovem enfermeiro.

Socorrido por populares, Ernandes foi levado às pressas para o hospital, mas não resistiu aos ferimentos e morreu em seguida.

Informada do ocorrido, a delegada plantonista Anna Carolina e sua equipe de investigadores se dirigiram ao local do crime, na rua Airton Sena, bairro Nova Vida, e também ao hospital para apurar os fatos, uma vez que as primeiras informações que chegaram era que o casal havia sofrido uma tentativa de assalto e que Ernandes Pereira teria sido baleado por reagir.

Entretanto, a delegada Anna Carolina descartou essa informação.

Segundo a policial, o técnico de enfermagem foi vítima de crime passional uma vez que Ernandes era casado e Antônia também e os mesmos estavam em um caso extraconjugal. O marido de Antônia havia descoberto e ameaçado Ernandes.

Ainda de acordo com a delegada, dias antes do crime, Antônia alegando não querer mais conviver com o marido de prenome Carlos, pediu divórcio, e por ciúmes, não aceitando o fim do relacionamento, decidiu dar cabo da vida do amante da esposa.

Devido as ameaças que vinha sofrendo, alguns dias atrás Ernandes Rodrigues estava indo e voltando do trabalho na companhia de seu irmão, porém horas antes de sua morte o mesmo teria ligado para seu irmão e avisado que não fosse lhe buscar, pois iria levar uma cesta básica na casa de um amigo e logo estaria em casa.

A delegada lembra que Antônia nem tão pouco socorreu o amigo de trabalho, quanto ao veículo também não foi encaminhado para delegacia.

Ela e o marido estão sendo procurados pela Polícia Civil.

(Neide Folha)

Publicidade