A Polícia Civil de Parauapebas solicitou, na manhã desta segunda-feira (24), a prisão preventiva do soldador Josivane Dias Lopes, de 29 anos, que é suspeito de matar o agricultor Rafael Alves Dias, de 36 anos, seu cunhado. A vítima foi assassinada com dois tiros de espingarda.

De acordo com informações, o crime ocorreu depois de uma discussão entre os dois. O desentendimento teria começado há 15 dias após Josivane Dias ter agredido a companheira, irmã da vítima. Rafael teria ficado sabendo da agressão sofrida por sua irmã e chamou o cunhado para um bar, onde conversaram sobre o ocorrido, momento em que começaram a discutir.

Embriagados, os ânimos se agravaram e a discussão se estendeu, inclusive envolvendo a mulher do suspeito. No meio da discussão, Josivane teria saído de moto e retornado minutos depois armado de uma espingarda e disparou contra Rafael, que morreu na hora. O crime aconteceu por volta das 22h de domingo (23) na Vila Palmares II, zona rural de Parauapebas, distante cerca de 20 quilômetros do centro da cidade.

Pela manhã, o Departamento de Homicídios do município ouviu as testemunhas, inclusive a esposa do acusado e concluiu o inquérito policial. O delegado responsável pelo caso solicitou à justiça a prisão preventiva de Josivane Dias, que é considerado foragido.

Após prestar depoimento, a irmã da vítima conversou com nossa equipe de reportagem e relatou que acredita que o esposo tinha intenção em atirar nela e, para defendê-la, o irmão teria entrado na frente.

“Eu senti que ele ia atirar em mim. Como meu irmão estava próximo e viu que o tiro ia pegar em mim, ele entrou no meio” afirmou.

(Neide Folha)