Na ficção, Rodrigo Pessoa Ferreira da Silva, servidor do Sine, cidadão de bem. Na vida real, Renato Ferreira da Costa, foragido da Justiça do Tocantins e tremendo 171. Saiba mais

A Polícia Civil desmontou uma farsa na manhã desta segunda-feira (20) no município de Parauapebas. Rodrigo Pessoa Ferreira da Silva era, aos olhos da sociedade parauapebense, um homem de bem, trabalhador, servidor do Sine, uma pessoa tranquila. No entanto, o homem de 42 anos escondia bem mais do que qualquer um poderia supor.

Na verdade, Rodrigo se chamava Renato. E de cidadão de bem Renato Ferreira da Costa não tinha nada. O tremendo 171 era foragido da justiça do Tocantins, acusado de furto qualificado, crime no qual ele já era reincidente, e atuava no Sine, de acordo com as investigações da PC, pessoas que faziam parte do mundo do crime para as empresas, visto que ele era o responsável pela seleção dos candidatos. Ainda não se sabe o que Renato ganhava em troca deste serviço sujo.

O farsante foi preso pela PC no seu local de trabalho na operação chamada de “Seleção Imperfeita”. Ele já era investigado há uma semana. Ao ser preso, o foragido se recusou a falar, mas diante das evidências acabou revelando que, de fato, usava o nome falso. A PC agora vai investigar como o homem conseguiu o documento falso.

Encerrando a sua saga em liberdade, Renato, ao chegar na Depol, se desvencilhou das mãos dos investigadores e correu. Os policias, no entanto, conseguiram evitar mais uma fuga do gatuno.

Publicidade