Por volta das 15h50, de sexta-feira 30, Lucas Nascimento de Morais, 20 anos de idade, foi executado com quatro tiros dentro do estabelecimento onde trabalhava. Os tiros foram efetuado por um indivíduo que estava na companhia de um comparsa em uma moto Yamaha Faser preta de placa não anotada. O crime aconteceu na rua Sol Poente esquina com a Cristo Rei, bairro Rio Verde, quando a vítima se encontrava no interior da loja de venda de forros onde trabalhava há um mês.

De acordo com o cabo PM Batalha que esteve no local e isolou a área do crime aguardando a chegada da Polícia Civil e do Instituto Medico Legal IML, para os levantamentos de praxe e remoção do corpo, sua GU foi acionada via Centro de Controle Operacional (CCO) para verificar um baleamento, chegando no logradouro a vítima já havia entrado em óbito.

Ainda segundo o policial, Lucas Nascimento era integrante de uma facção criminosa e tinha passagem pela polícia por assalto a mão armada e envolvimento em um homicídio tempos atrás.

Informações repassadas para a polícia dão conta que o assassino que estava vestido de calça jeans preta e camisa preta, usando capacete e uma mochila na costas e teria chegado na companhia de um segundo indivíduo também não identificado que pilotava a moto e teria estacionado a fazer na rua Cristo Rei, próximo a esquina instante em que o garupa desceu e caminhou até o loja de forros e ficando de frente com a vítima a uns cinco metros de distância sacou da arma provavelmente um revólver calibre 38, e segurando com as duas mãos apertou o gatilho por quatro vezes, em seguida a dupla tomou rumo ignorado.

Acionada uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), esteve no local tentando reanimar a vítima, porém sem sucesso, o rapaz entrou óbito.

Depois das investigações preliminares realizadas pelos IPCs Fátima e Lucas o corpo da vítima foi recolhido pelo IML e encaminhado ao Centro de Perícia Científica Renato Chaves para exames de necropsia. Ainda no local os técnicos do IML e policiais constataram 4 perfurações no corpo da vítima , um no pescoço, um no braço direito, um no braço esquerdo e outro no peito esquerdo.

(Neide Folha)

Publicidade