A Polícia Militar prendeu e apresentou na Delegacia de Polícia Civil, para procedimentos cabíveis, o braçal Claudivan Alves Rocha de 53 anos de idade, acusado de espancar sua companheira, também de 53 anos.

Ouvido pela reportagem, o acusado se defende dizendo que convive há quatro meses com a vítima, mas nunca havia batido nela e que a acusação de carcere privado também não procede. “Olha, tudo isso ocorreu quando nós estávamos brincando e bebendo. De repente, ela virou pra mim e falou que havia ficado com outra pessoa ai aconteceu tudo isso” disse ele.

Preso, agora Claudivan Alves vai ter que se explicar ao juiz por ter espancado sua esposa. Para finalizar, o acusado se diz arrependido de tudo que fez à companheira dele e frisou, por várias vezes, que tudo ocorreu por causa da bebida alcoólica que havia ingerido.

O caso ocorreu na área do contestado, PA Itacaiúnas, distante cerca de 65 quilômetros do centro de Parauapebas. Também ouvida pela reportagem, a vítima, que pediu para não mostrar seu rosto, e nem divulgar seu nome contou que vinha sendo espancada pelo acusado desde quando foi morar com ele e que tinha muito medo de ser morta.

Ela disse que as marcas em suas costas são de óleo quente que ele jogou nela e que também havia batido nela com um facão.

Perguntada pela reportagem sobre a razão de continuar morando com ele, ela disse que ele a ameaçava de morte, caso abrisse o bico e falasse para alguém. O acusado foi preso pela guarnição da PM da patrulha rural após receber várias denúncia do que vinha acontecendo.

“Ele é um homem bastante violento, lá na Vila é temido pelos moradores e ninguém gosta dele.” A vítima termina dizendo que teve muito medo de morrer esse pouco tempo que conviveu com ele e lembra que viu a morte de perto.

Pela manhã, o acusado Claudivan Alves foi encaminhado ao IML onde foi submetido a exame de corpo delito e em seguida apresentado ao juiz para audiência de custódia.

(Neide Folha)