Na noite de quarta feira (19), por volta das 20h , a Polícia Militar, por meio da Ronda Ostensiva com Apoio de Motos (Rocam), apresentou, na 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil de Parauapebas, os indivíduos Danilo Rios da Silva, 23 anos, e Rone Gomes da Silva 27, ambos acusados de assalto e tentativa de estupro contra uma mulher de 45 anos de idade.

A vítima tinha acabado de sair de um supermercado localizado às margens da PA- 275, divisa dos bairros Cidade Jardim e Novo Brasil, em Parauapebas. De acordo com a vítima, o caso aconteceu quando ela e o marido de 43 anos retornavam do trabalho. Os dois decidiram entrar no atacadista para fazer compras e, na sequência, se dirigiram ao ponto de vans para ir embora, pois moram no bairro da Paz.

Ao chegar na parada, o ônibus já havia passado. O casal, então, decidiu seguir a pé para casa. Ao atravessar a rodovia e caminhar às margens da PA, os dois perceberam que e estavam sendo seguidos pela dupla. Em determinado momento, já no bairro Novo Paraíso, Rone teria atravessado em sua frente e seguiu pelo outro lado. “Eu e meu esposo continuarmos andando, nunca imaginarmos que seríamos atacados e assaltados. Ao chegarmos em uma rua escura, já nos deparamos com os dois saindo do mato e já foram logo colocando as mãos em cima da gente, gritando e pedindo celulares e dinheiro. Em seguida, eles pegaram o meu celular e minha bolsa. Nesse momento comecei a acenar para os veículos que passavam naquele local, mas ninguém parava, graças a Deus que um motorista percebeu que se tratava de assalto e parou pra nos socorrer.”

A mulher relatou mais momentos de terror. “Nesse período que eu estava pedindo socorro, um dos ladrões já estava tirando minhas vestes, chegaram a tirar minha calcinha e tentaram me levar para dentro do mato. Enquanto isso, o segundo indivíduo segurava meu marido. Quando chegou a primeira pessoa pra nos socorrer, eu consegui correr até um bar próximo que estava bastante lotado e todos se reuniram e pegaram os bandidos.”

Mediante a denúncia de assalto e tentativa de estupro, a população espancou a dupla, que foi salva com a chegada da Rocam. “Se eles estavam armados, não sei. O que sei é que eles tinham outros aparelhos celulares. A população conseguiu recuperar o meu celular e do meu marido e minha bolsa e os objetos eles também não pegaram porque a multidão tomou deles. Louvo a Deus que tudo ocorreu bem. Tenho pouco tempo aqui, apenas 8 dias . Estamos a procura de trabalho e já aconteceu algo assim. É uma péssima experiência.”

(Neide Folha)