Entra no terceiro dia a manifestação dos mineradores e garimpeiros na PA-279 em Ourilândia do Norte, sudeste paraense. Eles bloquearam a rodovia na tarde de segunda-feira, 28, em frente ao Aeroporto Municipal, em protesto as fiscalizações realizadas pelo Ibama na região, que fechou vários garimpos, e pedem a liberação de áreas de lavras.

Na noite de ontem, terça-feira, 29, eles liberaram a rodovia por uma hora, de 20h às 21 horas, com 30 minutos de trafegabilidade para cada lado. Na manhã de hoje, quarta-feira, 30, também liberaram de 8h às 9 horas.

Segundo os organizadores do movimento, o bloqueio segue sem prazo para acabar, com a liberação da pista a cada 12 horas. Na tarde de ontem, chegou a ser registrado mais de 12 quilômetros de engarrafamento da estrada, que é a principal via daquela região.

Os manifestantes dizem que estão contando com apoio dos prefeitos da região e pleiteiam serem ouvidos, em Brasília, pelo Governo Federal. “Queremos ser ouvidos em Brasília pelos ministros, senadores, autoridades responsáveis para garantir a segurança do nosso trabalho e que atendam as nossas necessidades”, declarou uma das organizadoras da manifestação.

O prefeito de Ourilândia, Dr. Romildo Veloso, esteve no final da tarde de ontem no local para conversar com os garimpeiros, tentando intermediando a liberação da rodovia. “Nosso papel é aqui é buscar, da melhor forma possível, um entendimento entre ambas as partes e, já fizemos um prévio acordo de conversar com o governador do estado,  Helder Barbalho, com o deputado Joaquim Passarinho, senadores Zequinha Marinho, Paulo Rocha e, Jader Barbalho, para que marque uma reunião com ministro Sérgio Moro, com o presidente do Ibama, com o ministro do Meio Ambiente, Sales e, com o presidente da Agência Nacional da Mineração, para que todos juntos possamos chegar a um entendimento sobre esta questão, porque o que vem acontecendo aqui na nossa região não é justo, não é justo que nossos garimpeiros sejam tratados como bandidos, como criminosos, isso é inadmissível. Então, vamos defender esta causa até que a gente consiga algo definitivo e positivo em Brasília”, disse o prefeito.

A Polícia Militar acompanha a manifestação, ordenando o tráfego de veículos quando a pista é liberada e também para tentar evitar atrito entre motoristas e manifestantes. De acordo com os garimpeiros, caminhões com cargas vivas, alimentos perecíveis e ambulâncias, são liberados normalmente.

Ao todo, segundo os organizadores, mais de 2 mil mineradores e garimpeiros fazem parte da manifestação em Ourilândia do Norte. Eles querem a legalização da Permissão de Lavra Garimpeira (PLG () no município e região. Os manifestantes montaram um acampamento na área, com toda logística para fazer comida e fornecer água aos que participam do protesto, que só vai encerrar, reiteram eles, após serem ouvidos pelo Governo Federal.  

(Tina Santos – Correio de Carajás)

Publicidade