Nesta terça-feira (15), a Polícia Federal deflagrou a operação “Fe26”, com o objetivo de fiscalizar e desarticular o esquema criminoso de extração ilegal de minério de ferro na região de Curionópolis, no sudeste paraense. Quatro pessoas foram presas em flagrante, inclusive um dos donos da empresa que foi alvo da operação. A ação policial teve início após investigações apontarem que o estabelecimento utilizava títulos minerários anulados pela Justiça Federal, portanto sem autorização legal da Agência Nacional De Mineração (ANM) para extração, beneficiamento ou transporte.

Além das prisões, também foram apreendidos ainda R$34 mil, quatro caminhões, três veículos, um trator, uma pá carregadeira e três britadores móveis de grande porte, além de mídias eletrônicas e documentos. A operação contou com a participação de 21 policiais federais e também houve representação da Polícia Federal e da 1ª Vara Federal de Marabá, que deferiu mandado de busca e apreensão no local.

A matéria-prima é pertencente à União Federal, o que constitui crime contra o patrimônio, na modalidade de usurpação, além de crime ambiental e organização criminosa. Se somadas, as penas podem chegar a 13 anos de prisão. O nome da operação faz referência ao nome do ferro, mineral ilegalmente extraído, e posição do número atômico na tabela periódica.

A região sudeste do Pará tem um histórico de extração ilegal de minério, o que implica em um combate frequente à essa prática criminosa por parte da Polícia Federal, que já realizou com inúmeras operações durante todo o ano de 2020 pela delegacia de Polícia Federal de Marabá, tanto dissuadindo esta prática com bloqueio de bens nas áreas de extração, prisões e apreensão de bens e veículos como em atuação junto ao destino final no porto de Barcarena, impedindo a exportação.

(Informações da Liberal)

Publicidade