Desaparecido desde o dia 07 de setembro, infelizmente o topógrafo Edivaldo Sousa do Nascimento de 49 anos, natural de Joselândia (MA), foi encontrado morto, por volta de meio dia desta quarta-feira (9) nos fundos de uma cisternas em uma casa na rua Tapajós, 513, Casas Populares II. A vítima estava amordaçada com as mãos e os pés amarrados. A princípio nos primeiros levantamentos realizados pela equipe dos técnicos do (IML), nenhuma perfuração de arma branca ou de bala foi encontrada no corpo.

Segundo informações de familiares, Edivaldo teria saído de casa com destino ao bairro Cidade Nova por volta de 12h para realizar o pagamento de uma conta, desde então não entrou mais em contato com a família.

Um boletim de ocorrência foi registrado na 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil e com base nas informações as investigações tiveram início na tentativa de localizar o topógrafo.

Entretanto, na quarta o mistério acabou da pior forma possível. A polícia chegou até o local onde o corpo estava após a família da vítima receber uma ligação anônima informando o paradeiro do fotógrafo. Mediante as informações repassadas, foi constatada a veracidade da denúncia. Uma equipe do Corpo de Bombeiros foi acionada para retirar o corpo de Edivaldo Sousa do poço, a equipe do Instituto Médico Legal (IML), também estiveram no local e realização a remoção.

De acordo com um familiar do topógrafo, Edivaldo foi visto pela última vez na região do Palmares II, onde estaria em um balneário bebendo na companhia de uma mulher. “Viemos atrás dessa mulher, conseguimos localiza-lá. Mas, como havia fotos dele espalhadas pela cidade recebemos uma ligação, onde a pessoa informou que ele estava morto dentro de um poço na casa”

Ainda de acordo com o rapaz, foi repassada a informação que os criminosos chegaram a residência em um veículo por volta das 17h. O veículo da vítima, um Volkswagen Gol, cor prata, placa NSL-3843, ainda não foi encontrado pela polícia que trabalha com a hipótese de crime de latrocínio (Roubo seguido de morte).

A polícia já tem a identificação de quatros suspeitos que teriam envolvimento na morte de Edivaldo. A motivação do crime ainda é um mistério, pois a Polícia não descarta a hipótese do mesmo ter sido assassinado por membros de facção criminosa, o desfecho do crime só será confirmado após fechamento do inquérito policial.

O corpo foi removido para o Centro de Perícias Científicas Renato Chaves onde passou por exames de necropsia que irá apontar a causa morte do topógrafo, o que também irá ajudar a Polícia a desvendar o crime.

(Neide Folha)

(Errata: Matéria alterada às 11h para alterar a profissão de Edimar, que era topógrafo e não fotografo, como publicado anteriormente.)

Publicidade