Ângela Chaves do Amaral, 54 anos de idade, que estava desaparecida desde o dia 18 de novembro, foi encontrada morta na manhã desta quinta-feira (21), no interior de uma construção abandonada na rua V7, quadra 34, lote 17, bairro Cidade Jardim, Parauapebas.

Ângela era alcoólatra e já havia perdido dois filhos para o mundo do crime, Melquezedeque, conhecido por Beiçola, e um outro conhecido por Beterraba, ambos usuários de drogas, assassinados suspeitos de praticarem furtos no município.

A polícia investiga a informação de que a última vez que Ângela foi vista estaria na companhia de um homem de prenome Paulo. Um dos filhos da vítima esteve na delegacia um dia antes de o corpo ser encontrado para registrar o desaparecimento da mãe.

Era por volta das 11h30hs quando o filho de Ângela foi surpreendido com a informação de um corpo encontrado no Cidade Jardim, bairro vizinho ao da vítima, uma vez que ela morava no bairro dos Minérios. Na delegacia, a reportagem tentou conversar com o filho da vítima, porém o mesmo não quis comentar o assunto.

Mesmo em estado avançado de decomposição, foram observados pela equipe de remoção do IML e investigadores que estiveram no local duas perfurações de arma branca na altura do peito da vítima.

Ainda de acordo com informações, o corpo foi encontrado por um homem não identificado que estaria olhando a construção para comprar e, quando adentrou o imóvel, se deparou com o cadáver.

O corpo de Ângela foi reconhecido por um dos filhos que a identificou pelas roupas que estava usando no dia do desaparecimento. O corpo de Ângela Chaves do Amaral foi removido para exame de necropsia no Centro de Perícia Científica Renato Chaves de Parauapebas.

A polícia trabalha agora para identificar o autor do crime e coloca à disposição da população o disk-denúncia 181.

Publicidade