Suscitando polêmicas desde a sua implantação, lombadas eletrônicas foram retiradas neste sábado depois de ficarem em funcionamento por pouco mais de um ano no município. Prefeitura afirma que já trabalha em processo licitatório para novo sistema

A polêmica é grande e não é de hoje. Sempre dividindo opiniões, os radares de fiscalização eletrônica instalados em importantes avenidas do município foram retirados neste sábado (12). Se na época de sua instalação houve burburinho e falatório nas redes sociais, na ocasião da sua retirada não foi diferente. O debate tomou conta de grupos de Whatsapp e publicações no Facebook.

Há pouco mais de um ano, em novembro de 2017, a Prefeitura de Canaã, sob muitos protestos e alguns aplausos, passou a fiscalizar, por meio dos lombadas eletrônicas, os motoristas que passavam do ponto e excediam o limite de velocidade. Em pouco mais de um ano, de acordo com a Secretaria de Trânsito e Transporte, o número de acidentes teve uma drástica redução nas avenidas em que os radares foram instalados.

O debate foi além da sociedade e chegou ao parlamento municipal. O atual presidente da Câmara de Vereadores, Wilson Leite, usou a tribuna e criticou duramente o poder executivo pela opção das lombadas eletrônicas e, segundo ele, pelo elevado valor do contratado firmado com a empresa prestadora de serviços. “Eu considero um gasto enorme para o município. Além do alto valor para a instalação, a Prefeitura vai pagar R$ 35 mil por mês para a manutenção. Não sou arcaico, sou a favor da tecnologia, mas, como já foi dito que estamos em crise, esse não seria o momento.”

A Prefeitura de Canaã, por meio da Assessoria de Comunicação, se manifestou, neste domingo (13), sobre a retirada dos radares. Em nota, o governo afirmou que o equipamento foi retirado para que um novo sistema de lombadas eletrônicas, que inclui câmeras de vigilância e uma central completa de monitoramento, seja implantado.

A publicação afirma que já há um novo processo licitatório para a substituição do sistema em andamento e este deve ser concluído no prazo inicial de 60 dias.  Confira a nota da Ascom na íntegra:

Funcionando em Canaã dos Carajás desde novembro de 2017, os cinco radares eletrônicos, responsáveis pela fiscalização do limite de velocidade em importantes avenidas do município, foram retirados neste sábado (12). O recolhimento dos equipamentos se deu em função da implantação de um novo sistema de fiscalização que inclui câmeras de vigilância e uma central completa de monitoramento.

Com pouco mais de um ano em funcionamento, os radares contribuíram para a redução dos índices de acidentes nas avenidas em que foram instalados. Sabendo da importância crucial do equipamento para a construção de um trânsito mais seguro no município, a Prefeitura de Canaã, por meio da Secretaria Municipal de Trânsito (Settran), informa que um novo processo licitatório já está sendo feito para atender à demanda municipal.

O novo processo licitatório, conforme explicação do secretário de trânsito e transporte, Uescley Amorim, é mais amplo e tem o objetivo de contribuir para um trânsito mais seguro e, também, auxiliar no combate à violência. “É importante destacar que as câmeras serão fundamentais para a melhoria da segurança pública em Canaã, visto que serão instaladas em pontos estratégicos da cidade e na entrada das vilas. Além disso, o município contará com uma central de monitoramento, o que deve auxiliar na segurança de prédios públicos, empresas privadas e residências.

Sobre a retirada dos equipamentos, Uescley explicou o fato. “Os radares foram retirados pela empresa que tinha sido contratada. É normal nesse tipo de contrato de locação e comodato a devolução dos equipamentos, mas já estamos trabalhando nesse novo processo mais amplo.”

O secretário também falou sobre a importância dos equipamentos no trânsito do município. “Tivemos uma redução no número de acidentes nesses locais e isso deixa claro o quão fundamental é essa fiscalização eletrônica. Vale lembrar que somente os motoristas que desrespeitam os limites de velocidade são notificados. Quem anda de acordo com a lei não tem com o que se preocupar.”

A previsão inicial é de que o novo processo esteja concluído nos próximos 60 dias. 

Prefeitura de Canaã dos Carajás

Publicidade