Metade das denúncias registradas são da concessionário de energia. Empresa minimizou o problema e disse que o número de queixas é pequeno comparado à clientela

>

Em 2018, o Programa de Proteção e Defesa do Consumidor do Pará (Procon/PA) já teve 6500 reclamações contra a Centrais Elétricas do Pará (Celpa), fornecedora de energia elétrica no estado. Segundo o órgão, a maioria são sobre variações no valor de um mês para o outro. Consumidores protestaram esta semana contra o preço da energia elétrica em pelo menos quatro municípios do Pará.

Nesta quarta-feira (14), cerca de 400 pessoas ocuparam o prédio sede da concessionária em Tucuruí, no sudeste do estado. Os manifestantes cobraram melhorias no serviço e a redução da tarifa que teria tido três aumentos nos últimos meses.

O diretor geral do Procon, Moisés Bandahan, disse que a Celpa é responsável por mais da metade das denúncias. “Somos o estado com maior número de reclamações de energia elétrica no país, e isso demanda muito da política que a empresa adota com os consumidores”, afirmou. O diretor informou ainda que foi enviado um pedido ao Ministério Público do Pará (MPPA) para um Termo de Ajustamento de Conduta a fim de que a concessionária melhore os serviços oferecidos.

O gerente de relacionamento da Celpa, Marcelo Fernandes, defendeu que o número de reclamações é ‘pequeno e razoável’, já que segundo ele, foram pouco mais de 9 mil reclamações em 2017. “Nós temos 2,6 milhões de consumidores no estado, sendo que alcançamos 8 milhões. O número é pequeno e razoável comparando a quantidade de consumidores e serviços com o número de reclamações, sendo consideradas pelo Procon apenas 29 fundamentadas”, afirmou.

(Com informações do G1)

 

 

Publicidade