A Associação dos Moradores da Vila Bom Jesus se manifestou oficialmente e avaliou como positivo o resultado das manifestações ocorridas na quarta-feira (26), uma vez que trouxe ao público em geral informações sobre os dramas e os problemas vividos pelos agricultores durante anos.

A Associação também informou que em um primeiro momento não há previsão de novas manifestações, a não ser que sejam necessárias por conta de fatos futuros promovidos pela empresa VALE.

>

A entidade destacou ainda que concluiu a negociação de contratação de um escritório de advocacia que passará a representa-la, sendo que os advogados contratados, Vinicius Borba e Fernando Gonçalves, orientaram os moradores a realizar estudos técnicos com elaboração de laudos produzidos por empresas idôneas e capacitadas nos seguintes sentidos:

a) Avaliar os riscos reais da comunidade em caso de rompimento da barragem do Projeto Sossego;

b) Avaliar os documentos vinculados à Barragem (Licenças, Laudos inclusive de estabilidade da barragem, Planos de Prevenção de Acidentes, Plano de Evacuação, etc.);

c) Analisar a qualidade do Ar, Água servida à Comunidade, Vegetação e Água que serve de alimento para os animais, Pescados, dentre outas;

d) Analisar os abalos ao solo no interior da Vila Bom Jesus antes, durante e depois das detonações ocorridas no Projeto Sossego;

e) Bem como outros estudos de impactos e riscos envolvendo o Projeto Sossego e a Comunidade da Vila Bom Jesus.

Por fim, a Associação dos Moradores da Vila Bom Jesus agradeceu pelo apoio de todos durante as manifestações de quarta e ressaltou que todos os atos realizados não tiveram, em momento algum, o objetivo de promover prejuízos para a população de Canaã dos Carajás, nem para os funcionários ocais da Vale, mas sim garantir os direitos dos que vivem na Vila Bom Jesus.

Publicidade