Iranildes Pereira da Silva, 39 anos de idade, e o filho Jefferson Pereira da Silva, de 19, foram presos e apresentados na delegacia pela Polícia Militar acusados de serem os autores do esfaqueamento que levou à morte Joab Santos da Silva, 27 anos, ex-marido da acusada. O homem deu entrada na emergência do Hospital Municipal de Parauapebas no final da tarde de sábado (11) com duas perfurações de arma branca. O caso aconteceu na Vila Palmares II, zona rural de Parauapebas, distante 22 quilômetros do centro da cidade.

Iranildes negou ter sido ela ou o filho que esfaquearam o ex-marido com quem conviveu por cerca de três anos. No entanto, ela explica que os dois tiveram juntos uma vida conturbada e, por isso, seu filho vinha falando para que ela separasse dele. Iranildes disse ainda que vivia apanhando de Joab. “Ele quebrava tudo dentro de casa e me agredia. Meu relacionamento com ele era de idas e vindas” relatou a acusada.

Joel dos Santos Silva, 21 anos de idade, irmão da vítima, disse discordar da ex-cunhada e afirmou que o relacionamento dos dois era de brigas, o máximo que eles conseguiam ficar juntos era um mês ou dois. “Desconheço essa versão que meu irmão batia nela. Até onde eu sei, era ela que batia nele. Meu irmão era uma pessoa calada, um rapaz pacato, ele era louco por ela, muito apaixonado”, afirmou.

Joel explicou ainda que tomou conhecimento de uma briga na casa dos dois, mas que não é capaz de dizer quem provocou tudo, se ele ou ela. “Só sei que ela e o filho mataram o Joab a facadas. Ela tinha rancor dele pelo fato dele ter passado um bom tempo sem reatar o relacionamento entre eles. Acho que esse foi o verdadeiro motivo para que ela viesse a tirar a vida do meu irmão. Até onde sei, na hora do ocorrido eles estavam embriagados. Tomei conhecimento através de uma senhora que me avisou que meu irmão estava caído no chão perto da igreja, pedi apoio da ambulância da vila e trouxemos ele para o hospital, mas no caminho morreu” lamentou.

(Neide Folha)

Publicidade