100 dias de gestão: Prefeito Dr. Moacir ainda não engrenou. Até agora só pedra canga

Os cem dias de mandato do prefeito Dr. Moacir Pires de Faria (PL) chegaram, mas até aqui ainda não engrenou a sua gestão como continuidade do seu antecessor, assim como anunciavam em campanha nas eleições de 2020.
Desses cem dias, os feitos do prefeito ainda não deram ritmo e nem demonstração de que cumprirá o que prometeu em campanha.
Da pouca capacidade de realizar serviços públicos de qualidade, uma delas foi parar no Ministério Pùblico do Estado, que notificou a prefeitura a prestar esclarecimento técnico sobre o uso de pedras cangas no tapa buracos das ruas da cidade e com uma enxurrada de criticas da população ao adotar medidas paliativas que não deram muito certo.
Já contrariou os mais de 350 aprovados no concurso público, ao protelar a convocação, priorizando um grande número de contratação, sendo criticado pelo elevado número de contratados que são tidos como apadrinhados.
Outra situação que também está na mira do Ministério Público do Estado é o nepotismo cruzado. Para privilegiar os parentes, bastou um toma lá, dá cá.
Ubiacir Faria, irmão do prefeito e Mayara Faria, filha do gestor, que são advogados se tornaram assessores da Câmara de vereadores de Xinguara, presidida por um aliado de Dr. Moacir.
Já em contrapartida, na escancarada prática de nepotismo cruzado, Diogo Silva Pereira, sobrinho do vereador Adair Marinho (PDT), se tornou Assessor Especial de Governo na prefeitura.

Continua depois da publicidade


A prática de nepotismo cruzado é uma forma de tentar burlar a legislação que proíbe a contratação de parentes na administração pública, mas combatida pelo Ministério Pùblico por considerar que o ato viola a Constituição Federal quanto ao principio da moralidade.
O prefeito já tem os meios de comunicação à sua disposição, inclusive usando-os para dizer que as críticas à sua gestão estão sendo feitas pela oposição de quem perdeu eleição – parece se referir ao Ex- candidato Enric Lauriano, que usa as redes sociais para questionar o montante de dinheiro que o município tem recebido para o combate ao Covid-19.
Moacir que fala que “a política passou”, como se política não fosse tão frequente e presente na vida do cidadão, parece tá carregando consigo a síndrome de Peter Pan.
Disse na emissora de TV local que daqui 4 anos vai entregar o município melhor, se melhor ou não, já demonstra que será apenas esse mandato mesmo.
Que venham mais 100 dias para uma próxima análise dessa gestão e queira a população ser amparada com ações que realmente faça valer as promessas de campanha, ou que diga logo e admita que não pegou a prefeitura sem pendências do seu antecessor.
Até mais…

Publicidade