O vaqueiro Miguel Raimundo José de Souza, 59 anos de idade, foi encontrado morto com um tiro de espingarda e um golpe de faca por volta das 6h da manhã de domingo (5). O corpo do homem estava na estrada em frente ao portão da propriedade em que trabalhava, próximo a Vila Palmares III, zona rural do município de Curionópolis, distante cerca 22 quilômetros do centro de Parauapebas.

Ao tomar conhecimento de que a vítima havia aparecido na propriedade com uma mulher residente na Vila Palmares III e que ela tinha o abandonado, as investigações tomaram rumo nesse sentido. Em menos de duas horas, o crime foi elucidado e os envolvidos identificados.

>

A primeira a ser procurada pela polícia foi a ex mulher da vítima. De acordo com Maria dos Reis Ferreira Carneiro, 29 anos, agora viúva, ela e a vítima tiveram um relacionamento amoroso por cerca de 10 meses. Ela morou com Miguel apenas um mês, porém não se acostumando com ele resolveu voltar para casa da mãe dela. ” Ele era calmo e uma pessoa muito boa e nunca me agrediu, mas como eu não me acostumei em morar com ele, o chamei e falei que ia embora.” explicou.

No sábado (4), Miguel Raimundo teria procurado Maria dos Reis para tentar reatar o relacionamento, momento em que teria dito para ela que iria ficar no pé dela até que ela o aceitasse de volta, pois se ela não fosse dele não seria de ninguém.

Ainda segundo informações, em conversa com José Wilson, tio da mulher, e Divino dos Reis, irmão dela, o vaqueiro Miguel, teria dito a mesma coisa, o que foi entendido por eles como ameaça de morte para Maria dos Reis.

Ainda naquele dia, a vítima, o tio e o irmão de Maria começaram a beber na casa de José Wilson. Já à noite, uma discussão teria começado e Miguel Raimundo teria desferido dois golpes de faca em José Wilson.

Em seguida, Miguel teria deixado o local a pé aparecendo morto no dia seguinte. Na estrada, a cerca de três quilômetros do local da briga com perfurações de tiro de espingarda e um golpe de punhal na jugular.

Após levantamentos preliminares na cena do crime realizados pelos investigadores Lucas e Rodrigo, da 20ª Seccional de Polícia Civil de Parauapebas, o caso foi elucidado e os envolvidos identificados, como também a motivação do crime esclarecida.

Conduzida para delegacia e ouvida em depoimento, a ex da vítima foi a peça fundamental nas investigações. José Wilson e seu sobrinho suspeitos de serem autores e co-autores do crime fugiram em rumo desconhecido.

Ouvida pela reportagem, Maria dos Reis contou que, a princípio, não sabia da morte de Miguel Raimundo e disse que só tomou conhecimento quando a polícia chegou em sua casa, uma vez que o corpo foi encontrado longe da vila.

Devido a localidade pertencer à jurisdição de Curionópolis, o caso será encaminhado para Polícia Civil daquela cidade.

(Neide Folha)

Publicidade